Feira de Castro – A maior ao Sul

Há tradições que se perdem, mas há outras que se mantém firmes ao passar do tempo, a Feira de Castro é um desses casos. Ao 3º fim de semana do mês de Outubro surge na agenda de todos nós este evento que ninguém pode perder. Passados tantos anos e de tão perpetuada se tornar deu até origem a ao ditado popular “tão certo como a feira de castro”. Além das habituais características de feira, é um marco social, onde os “compadres e parentes” se avistam, promovendo o apelo ao convívio mesmo agora que em moldes mais modernos e de encontro ao que o presente exige.

feira de castro

Em 1620, instituída por Filipe II em solicitação aos residentes que pretendiam obter rendimentos através dos terrádeos para a reconstrução da Igreja das Chagas do Salvador, a Feira de Castro rapidamente ganha influência e peso no que eram as feiras de antigamente. Dado a sua centralização no campo branco torna-se a principal ao sul do país. O gado como sempre era o principal bem transaccionado, não faltando no entanto mercadorias manufacturadas  e os produtos da terra. Acontecia nestes três dias o maior evento comercial da região. As pessoas abasteciam-se para as necessidades que se aproximavam com o inverno. Mas não eram só bens que eram trocados, trocavam-se as palavras, as modas, os abraços, matavam-se as saudades. Todos corriam à Feira de Castro, as pessoas rumavam a Castro Verde, muitas vezes percorrendo a pé vários dias a distância que os separava da vila. Mas todos lá iam, o convívio era a grande bandeira.

Hoje muita coisa mudou, os costumes são outros, as necessidades também. A feira modernizou-se. Mas nem assim perdeu o encanto que todos têm por ela. Quando chega o terceiro fim de semana de Outubro todos nós continuamos a rumar à Feira de Castro.

Consulta aqui: Feira de Garvão – A Secular do Gado!

Comentários

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Inline
Inline